Arquitetos criando vitrines

Arquitetos criando vitrines

Em setembro do ano passado, empresas de arquitetura londrinas foram convidadas a criar instalações em vitrines ao longo de uma das ruas mais famosas do comércio Londrino, a Regent Street.

A iniciativa fez parte do London Design Festival e foi organizada pelo Royal Institute of British Architects (RIBA) especialmente para as vitrines da Regent Street.

“Para os arquitetos, trabalhar para um público selecionado em um espaço comercial de rua é fantástico”, explica a gerente de projeto do RIBA Regent Street Windows Meneesha Kellay. “Para os varejistas, trabalhar com os arquitetos para ampliar os limites de suas vitrines é uma grande chance de expandir suas próprias fronteiras”, complementa.

Na vitrine da KSR Architects para a 7 For All Mankind, os jeans parecem flutuar bem no centro da vitrine.

Na vitrine da Kiehl’s, a Piercy & Company – juntamente com a Electrolight – utilizou o produto iluminado e transformado em uma flor gigante. O conceito era mostrar as sementes de Quinoa, ingrediente presente nos produtos da marca recém lançados. Adesivos de vitrine representando sementes decoram os vidros da parte superior da vitrine. Impossível de passar desapercebida.

Vitrine para a Armani Exchange por Matheson Whiteley, que optou por simplesmente dispor uma faixa de tecido em toda a extensão da vitrine.

Vitrine para a Molton Brown por Knox Bhavan Architects

“Colocamos três enormes lustres de garrafas plásticas com a marca do cliente amarrados com fitas vermelhas igualmente da marca” explica Sasha Bhavan, parceira da Knox Bhavan Architects.

Vitrine da 76 Portland Place por Critical Architecture Network e Nina Shen Poblete

A RIBA participou pela primeira vez do projeto incluindo a vitrine de seu novo escritório no nº 76 da Portland Place. A instalação incluiu blocos esculpidos de cimento celular imitando os tijolos de uma fachada porém em tamanho ampliado. Os blocos podiam também ser visualizados por quem entrava no escritório.

Vitrine para a Charles Tyrwhitt por Bureau de Change

Outros arquitetos optaram por destacar a herança da marca. A Bureau de Change reproduziu alguns dos moldes das roupas que o alfaiate Charles Tyrwhitt em finas lâminas de madeira que foram dependuradas ao longo das vitrines e da entrada da loja.

Vitrine para Kate Spade por Haus Liberty

Aqui Haus Liberty optou por criar luminárias compostas por centenas de bolas de cristal facetadas, inspiradas na assinatura da própria marca dos Polka Dots.

 

Vitrine para Kiko Milano por Aleska Studio

O Aleska Studio se inspirou na paleta de cores das maquiagens da Kiko Milano para criar uma vitrine feita com faixas translúcidas cujas cores se modificavam dependendo do ângulo de visão dos transeuntes.

Vitrine da Liberty por Architecture Social Club

A opção da  Architectural Social Club para as vitrines da Liberty foi contar a história do fundador da icônica marca ao longo das diversas vitrines da loja.

A instalação celebra Arthur Lasenby Liberty, o fundador da Liberty“, explica Satyajit Das da Architecture Social Club. “Ele foi um dos pioneiros que trouxe a arte de fora para a Inglaterra”.

 

 

    

Vitrine da Projects Office para a Uniqlo

A vitrine da Projects Office para a Uniqlo incluiu pombas voando e desenrolando os fios de lã com o movimento de suas asas.

“A Uniqlo é uma marca internacional mas nós buscamos criar um projeto único com referências londrinas” explica o fundador da Projects Office Bethan Kay.

“Produzimos algumas pombas coloridas e as transformamos nas protagonistas da nossa vitrine. Com o desenrolar dos fios, elas vão construindo seus próprios ninhos”, complementa.

 

Não deixe de assistir ao vídeo sobre o projeto:

 

Fonte: https://www.dezeen.com

Tradução livre: Eloiza Besouchet | Vitrine Mania

Partilha isto

Sobre o autor

Publicitária, Relações Públicas, Especialista em Marketing e apaixonada por vitrines.

Veja todos os artigos por admin

Deixe uma resposta